top of page
  • Foto do escritorIsabella Schmitt

O que são criptomoedas? Entenda de uma vez

Que as criptomoedas estão cada vez mais populares você já deve saber. Afinal, em algum momento já ouviu falar sobre bitcoin e em como ele está valendo muito (ou o contrário).


Entender o que são as criptomoedas vai além de estar por dentro das novidades em formas de pagamentos para manter o seu negócio atualizado. Também pode ser uma nova forma de investimento, que pode fazer sentido com o seu estilo.


Quer saber o que são, como adquirir, quais são as criptomoedas mais populares do momento? Vem com a gente, que separamos um material completo para você ficar por dentro do assunto!

O que são criptomoedas?


Criptomoedas nada mais são do que moedas digitais/virtuais, ou seja, intangíveis. Por não existir fisicamente, como aquela nota de R$50 reais ou o cartão de crédito, elas acabam não sendo controladas por um órgão ou país específico.


Assim, as criptomoedas são moedas digitais descentralizadas. Isso porque não existe um órgão ou governo que regulamente ou controle as transações financeiras, registros e os dados de quem participa dessas transações.


Essas criptomoedas são geradas em uma rede blockchain, que é a tecnologia que funciona por trás das criptomoedas. O blockchain é o sistema que valida as transações através de uma rede de computadores descentralizada. Assim, em alguns casos é possível converter para outras moedas, como o real e dólar.

Como funciona as criptomoedas?

Essa é uma pergunta que depende de alguns fatores. Mas as principais criptomoedas são mineradas, como o popular Bitcoin e Ether.


Mas calma, não é a mineração que você está acostumado (risos).


A mineração para encontrar as criptomoedas acontece através da solução de equações complexas. A solução dessas equações, geram moedas, as conhecidas criptomoedas. Esse processo é o responsável por validar os dados no blockchain.


Mas se engana se pensa que qualquer um pode fazer isso. Fazer a solução desses cálculos exige muita dedicação e um computador que suporte este tipo de tarefa.

Quantas criptomoedas existem hoje em dia?

Agora que você já sabe o que é e como funcionam as criptomoedas, é hora de conhecer quais são as principais criptomoedas disponíveis no mercado. Afinal, com a popularidade crescendo é normal que mais criptomoedas surjam no mercado.


Desde o surgimento do popular Bitcoin, em 2009, novas criptomoedas surgiram. Algumas tão populares e valiosas quanto o bitcoin, enquanto outras são basicamente desconhecidas e possuem pouco ou nenhum valor de investimento.


Segundo dados da Coin Market Cap, existem mais de 4 mil criptomoedas diferentes em circulação.

Às cinco principais criptomoedas do mercado

Ainda segundo a Renova Invest, às cinco criptomoedas que possuem maior valor de mercado são:


  1. Bitcoin (BTC) A criptomoeda mais antiga e mais negociada do mundo, acumula uma capitalização de mercado acima de U$$1 trilhão. Em abril de 2021, a cotação de 1 BTC chegou a quase U$$65 mil dólares, mas menos de uma semana depois, a moeda despencou 11% em um dia apenas, atingindo a cotação de U$$55 mil dólares.

  2. Ethereum (ETH) A segunda maior criptomoeda de uso global tem uma capitalização de mercado de U$$250,5 bilhões de dólares, cerca de um quarto da capitalização do Bitcoin.

  3. Ripple (XRP) Com a capitalização de U$$61,6 bilhões de dólares e valor de U$$1,36 por unidade.

  4. Litecoin (LTC) Um dos primeiros a surgir depois do Bitcoiin, o Litecoin surgiu em 2011 e possui uma capitalização de mercado de U$$17,8 bilhões de dólares e um valor aproximado de US$56,45 por unidade.

  5. EOS

Com capitalização de US$1,0 bilhão e um valor aproximado de US$1,03 por unidade.


Vale a pena investir em criptomoedas?


Hoje, investir em criptomoedas é cada vez mais popular, justamente por possuírem uma valorização cada vez mais alta. Mas é preciso ficar atento, pois essa valorização é decorrente da alta volatilidade.


Exatamente por essa volatilidade, característica das criptomoedas, faz com que elas sejam os ativos de alto risco. O que pode não ser indicado para quem está começando a investir ou ter um perfil de investidor conservador.


Mas se você, está realmente interessado em saber como investir nas criptomoedas, separamos algumas dicas para você pensar antes de investir em criptomoedas:


  1. Invista uma pequena parte do patrimônio: afinal, além da volatilidade, as criptomoedas não possuem nenhum banco ou autoridade.

  2. Estude o mercado e esteja pronto para perdas: por não possuir uma estabilidade garantida, é preciso se preparar para imprevistos.

  3. Saiba como guardar suas moedas digitais: existem diferentes carteiras, com vantagens, requisitos técnicos, segurança, etc. Estude para entender qual é a melhor para você.

  4. Saiba quando realizar lucros: aqui é importante saber quando é um bom momento para vender parte da carteira de ativos para coletar os rendimentos.

Como comprar criptomoedas


Existem algumas maneiras de comprar criptomoedas de formas segura, como:

Escolher uma plataforma confiável:


Hoje em dia, você tem duas opções para isso: comprar por meio de uma corretora tradicional que trabalhe com criptomoedas ou comprar diretamente com uma casa de câmbio de criptomoedas.


Tenha dinheiro na conta:


Após escolher por qual plataforma em que você quer comprar suas criptomoedas, é importante que você reserve o dinheiro que será usado para isso na sua conta. A maioria dos câmbios de criptomoedas permite que você compre criptomoedas com dólar americano ou euro usando cartões de crédito e débito.


Mas aqui é importante ficar atento às taxas envolvidas nessas transações tanto de depósito, saque e até sob as negociações.


Pesquise (MUITO) sobre as criptomoedas:


Esse ponto é clichê, mas é extremamente importante pesquisar se a criptomoeda está em alta ou em baixa. Se é uma criptomoeda segura e com alto valor de mercado.


Também é importante verificar se a criptomoeda está listada nas maiores exchanges (as corretoras especializadas em criptomoedas). Conferir nos sites das moedas ou ler as whitepaper, que possuem informações básicas e importantes como: propósito do projeto, especificações técnicas, etc.


No caso das criptomoedas, por serem muito voláteis, o histórico de retorno ou prejuízo não pode ser o único fator de decisão. Ao mesmo tempo que uma alta valorização no histórico não significa que haja uma grande valorização, as quedas drásticas também não são sinais pessimistas.


Hora de investir


Você pode comprar criptomoedas diretamente por meio do site das corretoras ou em casas de câmbio. Mas além desse modo, você também pode comprar, vender ou até mesmo guardá-las através do PayPal, Cash App ou Venmo. Ou também pode ser através de:


Bitcoin Trusts: você pode comprar ações de bitcoin trusts através de uma conta de corretagem regular. Assim você investe em criptomoedas através do mercado de ações.

Fundos mútuos de Bitcoin: são grupos de bitcoins disponíveis para a compra ou ETF's;

Ações de Blockchain: ou ETF's, dessa forma você investe diretamente em criptomoedas através de empresas especializadas na tecnologia blockchain. Você pode comprar tanto ações ou os próprios ETF's.


Como guardar com segurança as criptomoedas


Hoje existem duas principais formas de “guardar” suas criptomoedas. Você pode escolher entre:


Hot wallets:


São carteiras conectadas com a internet. O que possibilita que você baixe no celular ou consiga acessar diretamente pelo computador.


No modelo mobile e web de hot wallets, as mais populares são Truts Wallet e o blockchain.com. Mas, ao mesmo tempo que o acesso é mais fácil, os riscos com ataques hackers também são maiores.


A versão para software é um pouco mais segura, pois as informações ficam armazenadas no próprio computador. Neste caso as marcas mais conhecidas são Electrum e Exodus.


Cold wallets:


São carteiras fora da web, isso quer dizer que elas não estão conectadas à internet.


Neste caso, as mais conhecidas são os hardwares wallets, parecidos com pendrives, que se conectam aos computadores para que as transferências de fundos possam ser feitas. As mais conhecidas são Ledger e Trezor.


O contraponto desse modelo é que por serem menos práticas, mais seguras, elas também são mais caras.


Existe uma terceira opção menos usual, as Paper Wallets, que nada mais são do que um papel onde o usuário imprime as chaves públicas e privadas.


Para que serve as criptomoedas?


Quando o Bitcoin surgiu, a proposta era justamente ser uma alternativa para transações diárias, desde o café diário até itens de alto valor. Mas como vemos hoje em dia, isso não aconteceu. Embora o número de instituições que aceitam criptomoedas esteja crescendo.


Você pode utilizá-las para comprar alguns itens, como:


Artigos de luxo: algumas lojas, como: Rolex e Patek Philippe já vendem seus relógios aceitando Bitcoin como forma de pagamento.

Carros: tanto revendedoras de marcas populares quanto de carros de luxo já aceitam criptomoedas como pagamentos.

Seguros: a seguradora suíça AXA anunciou, em 2021, que havia começado a aceitar o Bitcoin como forma de pagamento para as linhas de seguro, exceto seguro de vida.

Sites de tecnologia e e-commerce: algumas empresas de tecnologias aceitam criptomoedas como forma de pagamento. Marcas como newegg.com, AT&T e Microsoft.



Uma coisa é certa, as criptomoedas vieram para ficar. Para o cenário de investimentos, por mais que exista um alto retorno, a grande volatilidade ainda pode gerar incertezas e dúvidas, e como comentamos, pode não ser a melhor escolha para alto investimento inicial.


Já para o cenário de vendas, essa forma de pagamento pode se tornar mais popular em pouco tempo. Por isso, ficar atento em como o mercado está agindo, e até mesmo, os seus concorrentes, é fundamental para que esteja por dentro dos interesses do seu cliente.

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page