• Isabella Schmitt

Social Commerce: tudo o que você precisa saber sobre vender nas redes sociais

Facebook, Instagram, Pinterest, Tik tok, WhatsApp e mais inúmeras outras redes sociais, o que elas estão tendo em comum? Simples, a possibilidade de vender dentro do seu próprio sistema!


Comprar e vender atualmente já não é algo feito da mesma forma que há cinco anos. Hoje o perfil do consumidor, como ele compra e paga muda constantemente, assim como, o surgimento de novas redes sociais, novos formatos de conteúdos e novos virais surgem.


Já imaginou hoje comprar algo sem antes ouvir alguém falar sobre ele? Indicar, mostrar suas opiniões, teste de uso? Parece algo improvável, dado que somos constantemente influenciados a comprar algo a partir da opinião de alguém nas redes sociais. E é aí que o social commerce se estabelece.


Vem com a gente, que vamos explicar o que ele é, porque você deve aderir, além de trazer alguns exemplos de grandes nomes que fazem sucesso com a estratégia ;)

 

O que é Social Commerce


De forma bem simples e direta, social commerce é vender, comercializar o seu produto através das redes sociais. Simples, não?


Claro que para chegar nessa etapa você deve se atentar a outros fatores, como: a reputação do seu negócio no ambiente digital, a apresentação do produto e marca, a interação com os seguidores, clientes e tudo mais o que envolve a presença digital de uma empresa.


Outras formas de social commerce


E se você acha que o social commerce se restringe só ao Facebook ou ao Instagram, hoje além dessas duas populares redes, outras opções surgem e com a possibilidade de atingir até mais facilmente o seu público. Entre elas estão:


Pinterest voltou a fazer ainda mais sucesso durante a pandemia com suas dicas de faça você mesmo. Mas a plataforma também é uma ótima vitrine para o seu negócio efetuar vendas de sucesso. Tik Tok a queridinha do momento reúne um vasto número de usuários diários que consomem os vídeos ou produzem. Ela possibilita que se conheça melhor os produtos e negócios por meio dos vídeos, o que é um ótimo atrativo. WhatsApp por mais que não seja essa sua finalidade, cada vez mais o Whats se torna uma excelente ferramenta de vendas. Hoje já é possível com a conta comercial disponibilizar catálogo de vendas, contato direto com o consumidor e agora até mesmo efetuar pagamentos por ele.


Por que aderir ao social commerce?


Por que não estar onde seus clientes passam a maior parte do seu tempo?

Segundo o relatório Digital In 2019, a média dos brasileiros online nas redes sociais diariamente é de mais de 3 horas. Isso antes da pandemia, em 2020 a média diária foi de mais de 5 horas.


Segundo uma pesquisa feita pela Consumoteca e pelo Zoom mostra que 21% dos entrevistados levam a avaliação sobre o produto em consideração na hora da compra. Enquanto 32% busca a avaliação em sites de reclamações, como o Reclame Aqui.


Se as redes sociais abrigam um público tão grande e diverso, por que não usá-las para vender seus produtos? O social commerce é realidade, e se o seu negócio ainda não está usando ela, você está ficando para trás.


Os tipos de social commerce


Agora que você já sabe o que é o Social Commerce e como ele pode trazer novos benefícios ao seu negócio. Além de te deixar em contato mais direto com seus clientes e potenciais interessados, chegou a hora de entender como fazer isso, na prática!


Como falamos, as redes sociais estão se tornando a principal ferramenta de fazer o social commerce, mas além delas também pode ser feita de outras formas, como:

  • Entre pessoas - ou o popular, de vendedor para cliente: aqui é o meio mais comum, o vendedor conversa diretamente com o cliente. Sites como o Mercado Livre, Enjoey, OLX, Airbnb são plataformas que possibilitam esse tipo de social commerce.

  • Compras coletivas: você conhece ou já usou o site Peixe Urbano ou Groupon? Então você comprou por meio de um social commerce. Nesse modelo os consumidores se unem para comprar, pois, são atingidos por gatilhos que despertam a vontade de comprar.

  • Compra por influência ou opinião: e com as redes sociais esse modelo vêm crescendo muito. Afinal, certeza que você já foi influenciado a comprar algo porque outra pessoa indicou.

A vez da Live Commerce


O maior sucesso das lives commerce se deu em um período onde este formato de conteúdo cresceu de forma estrondosa no mundo, mas principalmente no Brasil, a pandemia mais o fator do distanciamento social e medidas preventivas mais severas para conter a propagação do vírus, abriu uma nova realidade que foi muito bem recebida pelos consumidores.


As lives não só dominaram o Facebook, Instagram, Youtube com diferentes conteúdos e bate-papos, mas também se mostraram um ótimo conversor de vendas. Para ter uma ideia dessa tendência, o Google em um dos seus artigos compartilhou alguns dados interessantes, como o da imagem abaixo:



O live commerce abre uma nova possibilidade de vender nas redes sociais. Como mostra o levantamento do Think With Google

Hoje a jornada de compra não é mais linear ou até mesmo previsível, o que deixa esse ainda mais complexo, mas também mais orgânico. Afinal, se o consumidor realizou a compra no seu negócio, certamente ele já pesquisou e ouviu muito sobre ele ante. Aqui também entra a preocupação por manter a imagem, status e o relacionamento com o consumidor da melhor forma possível.


Em 2020 a Black Friday se tornou o evento que mais evidenciou o sucesso que as lives commerces podem oferecer aos negócios. Empresas como: Americanas, Submarino, Magazine Luiza, Shoptime foram alguns marketplaces que investiram no sucesso e engajamento das lives.


Exemplos de empresas que se destacam no social commerce


Os grandes marketplaces conseguiram se adaptar de forma bem assertiva na onda do social commerce, isso significa que você precisa ser uma empresa de grande porte? Claro que não, o social commerce traz justamente a possibilidade de qualquer empresa aplicar e fazer parte deste formato de negócio.


Talvez você precise se dedicar mais para atingir sua base de clientes, ou talvez por ser um negócio menor você até consiga atender de forma pessoal seus clientes. A questão é que não existe uma regra, o que prevalece é oferecer um ótimo atendimento e um produto de qualidade.


Mas se precisa de uma inspiração para começar, separamos alguns grandes nomes quando o assunto é social commerce.

  • Magazine Luiza;

  • Natura;

  • Quem disse berenice?;

  • Amaro.

São alguns exemplos de marcas que souberam aplicar suas estratégias para as redes e potencializar as vendas dos seus produtos.